Perguntas & Respostas com base na obra de Kardec.

Fonte: Estudando as obras de Kardec – Astolfo Olegário de Oliveira Filho – aoofilho@oconsolador.com.br – Londrina, Paraná (Brasil) – e coletânea de perguntas elaboradas pelo Grupo Espírita Allan Kardec.

P&R: Do ponto de vista Espírita, amar os inimigos significa trata-los da mesma forma pelo qual o homem trata os seus amigos?

P&R: Do ponto de vista Espírita, amar os inimigos significa trata-los da mesma forma pelo qual o homem trata os seus amigos?

Do ponto de vista Espírita, amar os inimigos significa trata-los da mesma forma pelo qual o homem trata os seus amigos?

Amar aos inimigos não pode, pois, significar que não se deve fazer nenhuma diferença entre eles e os amigos. Este preceito parece difícil, e até mesmo impossível de se praticar, porque falsamente supomos que ele prescreve darmos a uns e a outros o mesmo lugar no coração. Se a pobreza das línguas humanas nos obriga a usarmos a mesma palavra, para exprimir formas diversas de sentimentos, a razão deve fazer as diferenças necessárias, segundo os casos.

Allan Kardec. O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XII, item 3.

Share

P&R: Que é que Deus concede àquele que ora com confiança?

P&R: Que é que Deus concede àquele que ora com confiança?

Que é que Deus concede àquele que ora com confiança?

“O que Deus concederá sempre a quem ora com confiança é a coragem, a paciência, a resignação. E lhe concederá também os meios de se tirar por si mesmo das dificuldades, mediante ideias que fará lhe sugiram os bons Espíritos, deixando-lhe dessa forma o mérito da ação. Ele assiste os que se ajudam a si mesmos, de conformidade com esta máxima: “Ajuda-te, que o Céu te ajudará”; não assiste, porém, os que tudo esperam de um socorro estranho, sem fazer uso das faculdades que possuem”.

Allan Kardec. O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVII, item 7.

Share

P&R: Em todas as religiões, inclusive no próprio Espiritismo, identifica-se que existem os fariseus modernos – homens que utilizam as questões espirituais sem vivê-las em sua intimidade. Os bons espíritos não enxergam isso?

P&R: Em todas as religiões, inclusive no próprio Espiritismo, identifica-se que existem os fariseus modernos – homens que utilizam as questões espirituais sem vivê-las em sua intimidade. Os bons espíritos não enxergam isso?

Em todas as religiões, inclusive no próprio Espiritismo, identifica-se que existem os fariseus modernos – homens que utilizam as questões espirituais sem vivê-las em sua intimidade. Os bons espíritos não enxergam isso?

Deus procede, neste momento, ao censo dos seus servidores fiéis e já marcou com o dedo aqueles cujo devotamento é apenas aparente, a fim de que não usurpem o salário dos servidores animosos, pois aos que não recuarem diante de suas tarefas é que ele vai confiar os postos mais difíceis na grande obra da regeneração pelo Espiritismo. Cumprir-se-ão estas palavras: “Os primeiros serão os últimos e os últimos serão os primeiros no reino dos céus.” – O Espírito de Verdade. (Paris, 1862.)

Allan Kardec. O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XX, item 5.

Share

P&R: As provações são proporcionais as forças de cada um?

P&R: As provações são proporcionais as forças de cada um?

As provações são proporcionais s forças de cada um?

Deus não dá prova superior às forças daquele que a pede; só permite as que podem ser cumpridas. Se tal não sucede, não é que falte possibilidade: falta a vontade. – Santo Agostinho. (Paris, 1862.)

Allan Kardec – ESE – Capítulo XIV, item 9.

Share

P&R: Sabe-se que apesar de existirem espíritas dedicados ao seu aprimoramento moral e na divulgação espírita correta, há aqueles que fazem mais o mal que o bem, pela falta de mudança íntima, pelos maus pensamentos e sentimentos que nutrem constantemente. Qual orientação espiritual podemos extrair nesta situação?

P&R: Sabe-se que apesar de existirem espíritas dedicados ao seu aprimoramento moral e na divulgação espírita correta, há aqueles que fazem mais o mal que o bem, pela falta de mudança íntima, pelos maus pensamentos e sentimentos que nutrem constantemente. Qual orientação espiritual podemos extrair nesta situação?

Sabe-se que apesar de existirem espíritas dedicados ao seu aprimoramento moral e na divulgação espírita correta, há aqueles que fazem mais o mal que o bem, pela falta de mudança íntima, pelos maus pensamentos e sentimentos que nutrem constantemente. Qual orientação espiritual podemos extrair nesta situação?

“Ditosos os que hajam dito a seus irmãos: “Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra”, porquanto o Senhor lhes dirá: “Vinde a mim, vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aos vossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra!” Mas, ai daqueles que, por efeito das suas dissensões, houverem retardado a hora da colheita, pois a tempestade virá e eles serão levados no turbilhão! Clamarão: “Graça! graça!” O Senhor, porém, lhes dirá: “Como implorais graças, vós que não tivestes piedade dos vossos irmãos e que vos negastes a estender-lhes as mãos, que esmagastes o fraco, em vez de o amparardes? Como suplicais graças, vós que buscastes a vossa recompensa nos gozos da Terra e na satisfação do vosso orgulho? Já recebestes a vossa recompensa, tal qual a quisestes. Nada mais vos cabe pedir; as recompensas celestes são para os que não tenham buscado as recompensas da Terra.” – O Espírito de Verdade. (Paris, 1862.)

Allan Kardec. O Evangelho segundo o espiritismo, cap. XX, item 5.

Share