P&R: Nos é permitido desmascarar o mal?

Nos é permitido desmascarar o mal?

A censura lançada à conduta de outrem pode obedecer a dois móveis: reprimir o mal, ou desacreditar a pessoa cujos atos se criticam. Não tem escusa nunca este último propósito, porquanto, no caso, então, só há maledicência e maldade. O primeiro pode ser louvável e constitui mesmo, em certas ocasiões, um dever, porque um bem deverá daí resultar, e porque, a não ser assim, jamais, na sociedade, se reprimiria o mal. Não cumpre, aliás, ao homem auxiliar o progresso do seu semelhante? Importa, pois, não se tome em sentido absoluto este princípio: “Não julgueis se não quiserdes ser julgado”, porquanto a letra mata e o espírito vivifica.

O Evangelho segundo o Espiritismo » Capítulo X – Bem-aventurados os que são misericordiosos » Não julgueis, para não serdes julgados – Atire a primeira pedra aquele que estiver sem pecado » 13.

Compartilhe