P&R: Que alegrias resultam da prece?

Que alegrias resultam da prece?

A prece é o orvalho divino que aplaca o calor excessivo das paixões. Filha primogênita da fé, ela nos encaminha para a senda que conduz a Deus. No recolhimento e na solidão, estaremos com Deus. Avancemos pelas veredas da prece e ouviremos as vozes dos anjos. Que harmonia! Já não são o ruído confuso e os sons estrídulos da Terra; são as liras dos arcanjos; são as vozes brandas e suaves dos serafins, mais delicadas do que as brisas matinais, quando brincam na folhagem dos nossos bosques. Por entre que delícias não caminharemos! Nossa linguagem não poderá exprimir essa ventura, tão rápida entra ela por todos os nossos poros, tão vivo e refrigerante é o manancial em que, orando, se bebe. Dulçurosas vozes, inebriantes perfumes, que a alma ouve e aspira, quando se lança a essas esferas desconhecidas e habitadas pela prece! Sem mescla de desejos carnais, são divinas todas as aspirações. Carreguemos, como o Cristo, a nossa cruz e sentiremos as doces emoções que lhe perpassavam nalma, se bem que vergado ao peso de um madeiro infamante.

Allan Kardec. O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVII, item 23.

Compartilhe